Comarca de Belmonte retoma sessões presenciais do Tribunal do Júri

A Comarca de Belmonte retomou, na quinta-feira (28), as sessões do Tribunal do Júri com o julgamento e condenação de um réu acusado de homicídio qualificado. Os julgamentos em Belmonte estavam suspensos desde o início da pandemia, em fevereiro de 2020.

Participaram do Tribunal do Júri o juiz Carlos Alexandre Pelhe Gimenez, o promotor Bruno Gontijo Araújo Teixeira, o advogado Valdir Farias Mesquita e o réu Aleandro Silva da Conceição, além dos jurados. Ao final da sessão, o réu foi condenado a 14 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, pelo crime previsto no artigo 121, §2, incisos II e IV, do Código Penal.

De acordo com o juiz Carlos Alexandre, titular da Comarca, esse julgamento estava inicialmente marcado para o mês de abril, mas devido à queda de energia não pode ser realizado.

O magistrado agradeceu o comprometimento dos jurados, escolhidos entre a população de Belmonte, que compareceram, quase integralmente, às sessões designadas.

GRANDE VOLUME DE TRABALHO – Durante a pandemia, apesar de os júris continuarem sendo realizados de forma virtual em outros municípios, não houve nenhum julgamento em Belmonte, explicou o juiz Carlos Alexandre, que assumiu a comarca em novembro de 2021.

Ele destacou o grande volume de processos existentes na comarca. “Como em todos os lugares na Bahia, há muitos processos e muito trabalho. Belmonte, assim como toda a região, tem muitos processos na área criminal”, afirmou.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.